Shouse do Pará na Liga 2018. Créditos - Divulgação

Região Nordeste mais uma vez fora da Liga Nacional de Futsal

Há muito tempo a diretoria da Liga Nacional de Futsal convida equipes para participarem da maior competição do futsal brasileiro.  Este ano os invitados são Blumenau-SC e o Shouse do Pará. Isto mesmo, um time da Região Norte foi chamado para participar da Liga pela primeira vez desde que ela foi criado em 1996, fazendo com que  o Nordeste mais uma vez tenha ficado fora da  Liga Nacional. Em 2001 o Sport Club do Recife e o Osasco de São Paulo firmaram uma parceria e formaram um grupo que disputou a Liga, mandando todos os jogos no Sudeste. Esta foi a única vez que um pernambucano jogou a liga, ainda que atuando fora do Estado.

A Liga não explica quais os critérios para convidar um time a disputar a LNF, mas este convite obriga o clube a se planejar muito bem antes do início. Por um lado os paraenses se livraram de pagar o aluguel de uma  das 20 franquias disponíveis, algo em torno de R$ 180 mil, mas, por outro terão que desembolsar um bom dinheiro para  bancar os custos com as viagens e hospedagens ao longo do campeonato.

LEIA MAIS:

Lista dos esquecidos na convocação para o Grand Prix

Ricardinho é eleito pela quinta vez melhor do mundo e supera marca de Falcão

Duelo entre pernambucanos termina empatado na Espanha

Calendário 2018 do futsal pernambucano é divulgado

 Asec vence Tamandaré outra vez e conquista o PE 2017

Ceará tem o melhor futsal da região Nordeste

A distância deve ser mesmo o maior desafio, só para chegar até Jaraguá do Sul, em Santa Catarina, o time vai percorrer mais de 3 mil km, praticamente obrigando a diretoria a fazer a viagem de avião, algo pouco comum no futsal já que a maioria dos clubes viajam de ônibus. Só para se ter uma ideia no ano passado teve time que passou um dia inteiro na estrada para disputar um jogo.  Em entrevista ao site Futsal em Pauta o presidente do Shouse confirmou que o elenco será formado por jogadores da região, dando a entender que não irá gastar muito com o time  ao longo da temporada.

SHOUSE ATENDE OS PRÉ-REQUISITOS? SIM

O regulamento da LNF exige que os participantes apresentem no mínimo dois ginásios com capacidade para pelo menos 1 mil torcedores (primeira fase) e quadra nas dimensões 40x20m. O Shouse mandará seus jogos na moderna Arena Guilherme Paraense, com capacidade para 12 mil torcedores e, talvez, um dos ginásios mais bonitos da Liga 2018. Sobre o outro ginásio não temos informações.

POR QUE O NORDESTE NÃO?

Difícil dar uma resposta precisa quando não se consegue falar com os responsáveis pela competição. O Horizonte do Ceará hoje é o time em melhores condições de ir para uma Liga e poderia ser este time convidado (se chegou a receber o convite não sabemos ainda).

A temporada 2017 do Galo foi perfeita com dois títulos nacionais (Copa do BR e Taça) além da Liga Nordeste. No lado Pernambucano o sonho parece um pouco mais distante apesar do atual campeão ser um clube bem organizado, o Asec de Caruaru.  Entrar como convidado seria a solução e aí o clube seguiria o mesmo caminho que o Shouse, planejar para bancar os custos com as viagens e a folha salarial do elenco.

Mesmo se fosse apenas com jogadores daqui temos a certeza que o time seria forte o suficiente para fazer uma boa Liga, afinal, há bons jogadores de Pernambuco atuando em todas as regiões do Brasil. Em relação ao local dos jogos nenhum time que disputou o PE Adulto deste ano teria uma quadra em condições de receber um jogo da LNF. A saída seria o Geraldão, que segue em obras.

QUEM JÁ TEVE O GOSTINHO DE JOGAR A LIGA

Olhando os encargos exigidos para um time jogar a Liga Futsal parece difícil imaginar um pernambucano nela um dia. Mas, se formos pelo histórico de participantes esse sonho não está tão longe, depende apenas da boa vontade dos dirigentes daqui. Todas as regiões já foram representadas por algum clube na LNF, contando já com a entrada do Shouse representando o Norte este ano.

O Centro-Oeste entre várias participações levou o Goiás em 1996 e o Crefisul/Asbac em 1999. Estados sem expressão no futsal também já participaram da Liga, como o Espírito Santo (Sudeste) em 2007 com o Álvarez, e até mesmo o Mato Grosso do Sul, com o Sei Dom Bosco, em 2003.

 

Compartilhe:
Matheus Silva

Jornalista com vasta experiência em coberturas esportivas, apaixonado por Futsal e atualmente Editor do Info Futsal.