Créditos da imagem - CBFS

Fifa quer é enfraquecer o futsal com suas mudanças esquisitas

Desde que apossou-se do futsal no lugar da Federação Internacional de Futsal (FIFUSA) a Fifa prometeu melhorar o esporte em todos os aspectos, além de torná-lo mais visível. Ter a entidade máxima do futebol como ‘chefe’ parecia ser uma ótima ideia para o esporte.

Mas ao longo dos quase 30 anos na administração do futsal não vimos a tão prometida evolução sair do papel, e se saiu foram apenas rabiscos. O futsal continua um esporte desprestigiado mundialmente, sem espaço nos Jogos Olímpicos, fruto da eterna guerra Fifa x COI, e agora com mudanças esquisitas e que dificilmente irão chamar a atenção de quem ainda torce o nariz para o esporte.

Esta história de lateral e escanteio cobrados com as mãos, como se fazia antigamente, é um mero retrocesso do esporte, mesmo que o jogador não seja obrigado e ainda possa fazer a cobrança com os pés. Mas essa da saída com o goleiro apenas na quadra de defesa é de chorar. E a Fifa adora  ficar em cima do muro quando o assunto é determinar regras.

Leia mais – Entenda por que o futsal não é olímpico

Fifa aprova mudanças no futsal e lateral pode ser cobrado com as mãos

 Pernambucanos participam de campeonato no Rio Grande do Norte

No Brasil existe regra para o carrinho, 4 segundos para o goleiro repor a bola; no livro da Fifa não…e assim vai, se joga de um jeito aqui, de outro na Europa, diferente na Ásia. Todo mundo joga futsal, mas cada um do seu jeito. Entendeu? E a Fifa parada olhando a bagunça. Mas é engraçado que no futebol é diferente, o que tem no livro da CBF tem no da Fifa, o que tem no da AFA tem no da Fifa. Ou seja, no futebol de campo as regras são universais;  no futsal ‘opcionais’.

SÓ AJUDA UM

A verdade é que a Fifa  só traz benefícios ao futebol de campo. Lembrem-se que ela também administra o futebol de areia e este é outro esporte que não evolui há anos, assim como o salão.  Ao que parece a Fifa não está preocupada com o futsal, quer  aos poucos minar o esporte para enfraquecê-lo e  diminuir os pedidos para que ele torne-se um esporte olímpico.

Como nunca vai ceder os pedidos do COI e nem o Comitê as exigências da Fifa, é melhor cortar o mal pela raiz.  Ah, lembrando que nos jogos de Tóquio, daqui a dois anos, teremos a entrada de cinco modalidades, entre elas Beisebol e Surfe. Sem mais…

Compartilhe:
Matheus Silva

Jornalista com vasta experiência em coberturas esportivas, apaixonado por Futsal e atualmente Editor do Info Futsal.