Garotos do Sport embarcaram neste final de semana para o Paraná. Créditos - Divulgação

De técnico novo, Sport encara Taça Brasil sub-13 de Futsal no Paraná

A Taça Brasil sub-13 de Futsal, que começa neste domingo (01/07), em Paranaguá-PR, não será novidade apenas para boa parte da garotada do Sport Club do Recife, único representante de Pernambuco. Para o técnico Raphael Melo ela também representa a primeira competição nacional à frente do time rubro-negro.

Contratado pelo Sport este ano, o treinador de apenas 27 anos já está ambientado ao clube, tem a confiança dos companheiros de clube e acredita que a sua equipe pode manter o bom retrospecto do Leão em Taças Brasil. “Cheguei ao clube em abril e o time já estava se preparando para a Taça. Então seguimos a preparação, os meninos já tinham disputado uma competição na qual foram campeões”.

“Na Copa PE estávamos invicto e com o melhor ataque e defesa da competição, até sermos eliminados na semifinal. Mas foi bom, visto que utilizamos todos nossos atletas com o intuito de dar um ritmo e oportunidade antes da taça”, pontuou o técnico.

Em relação ao campeonato, o Sport está no Grupo A ao lado de APPAF(SC), Fortaleza (CE), Esporte Clube Cabo Branco (PB) e o Paranaguá (PR). A estreia será neste domingo, às 16h30, contra o Fortaleza. Uma vitória é de suma importância para a equipe mostrar a força pernambucana diante dos adversários.  Raphael disse ter boas informações das equipes que estão na chave do Leão.

“Temos uma estreia difícil contra o Fortaleza. Depois pegamos a APAFF (SC) (atual campeão da categoria na taça). Equipes catarinenses sempre chegam muito forte. Na terça um clássico contra o Cabo Branco- PB, jogos entre paraibanos e pernambucanos é sempre difícil.  E encerramos na quinta contra os donos da casa onde esperamos uma pressão grande”, disse.

SORRIA, O PAI É VOCÊ

Outro ponto importante é em relação ao trabalho com os meninos que estão longe de casa e da família. Um momento bastante crítico para crianças abaixo dos 13 anos. A alternativa para driblar a saudade dos pais é formar uma família dentro do time, onde o treinador acaba virando pai de uma equipe inteira.

“Como toda e qualquer criança eles estão pensando muito nessa competição. Mas os meninos apesar de serem bastante novos, já estão acostumados a competições e jogos decisivos. O que ajuda a controlar a ansiedade”, completou.

Compartilhe:
Matheus Silva

Jornalista com vasta experiência em coberturas esportivas, apaixonado por Futsal e atualmente Editor do Info Futsal.